1 comentário:
De georgeliux7 a 23 de Setembro de 2010 às 21:54
Alma de artista

Vivo um eterno sofrimento.
Não consigo mais cantar e por isso lamento.
As minhas lágrimas inundam-me o pensamento,
Os meus gritos ensombram o firmamento.

Ontem, cantava desde amanhecer;
Hoje, suspiro depois de escurecer.
Ontem, sonhava que ia enriquecer;
Hoje, o meu caixão será de aluguer.

A VOZ! Era tudo o que tinha...
A VOZ! Era a maior fortuna minha.
A VOZ! Fazia Primavera de Inverno.
A minha alma de artista foi para o Inferno.

Comentar post